quarta-feira, 28 de abril de 2010

Pensamento diário.

''Você anda bebendo e fumando demais. É rebeldia, vem com o corpo.''
(Larissa Lais)

Problema meu.

Queria eu poder escrever alguma coisa, qualquer coisa, tirar esse congestionamento de palavras que pairam, que piram, dentro da minha cabeça. Enfim são só palavras que corroem, dilatam, que avoraçam minha mente.
Pelo menos acho eu, que sejam só palavras, mais parando pra pensar, é meu coração que está tão, mais tão inquieto, hiperativo, naquela vontade absurda de gritar, de dizer que, você é o motivo disso tudo. O motivo que deixa esse meu coração enlouquecido, aflito, a cada presença tua, a cada toque, a cada beijo, a cada abraço, a cada ligação, a cada tudo com você.
Parece até que minha emoção está sob algum efeito de entorpecente, que invadiu meu interior de uma forma inexplicável, é estranho, sem sentido, ou com.
Não dói, não fere, o que eu sinto é forte, é lindo, fantástico.
Mais o que eu sinto?
Sinto que não me faz mal, sinto ansiedade, não sinto fome, nem frio, nem sede.
Me sinto leve, sinto falta, me sinto outra, sinto falta, a falta as vezes é muita.
Falta, mais falta de que? Dos beijos, dos carinhos, dos abraços apertados, dos sorrisos e dos olhares sinceros.
Me sinto uma criança com vontade de chocolate, daquelas que o perigoso é chorar se não tiver o chocolate pra se lambuzar, pra matar aquela vontade.
A vontade é muita, é incontrolável, interminável, insaciável, enlouquecedora.
Será que é amor o que eu sinto?
Na verdade, o que eu sinto, é problema meu.
(Larissa Lais)

Pensamento diário.

''Não lido muito bem com frases feitas, legal mesmo
é misturar as palavras e vê no que dá.''
(Larissa Lais)

terça-feira, 27 de abril de 2010

Uma quase carta de amor.

Não, não foi por acaso. Não foi inesperado, sabe porquê?
Porque eu sabia que viria, eu sabia que iria te encontrar, ontem, hoje ou amanhã, ou quem sabe daqui uns dez anos, ou talvez numa outra vida, mais eu sabia que viria.
Foi esperado, eu senti que chegaria minha hora, eu sabia que a vida me preparava algo, algo bom, verdadeiro, extraordinário, único. Talvez mágico.
E quando você chegou, bastou um olhar, e nenhuma palavra, um sorriso, e nenhuma palavra.
Trêmulo ficou meu corpo, alma e coração, batendo com tanta força, parecendo até que iria explodir.
Um abraço apertado acompanhado de um beijo, meu mundo parou.
Ficaria eu ali parada horas, dias e semanas.
Ficaria eu te olhando, te olhando sorrir, rindo da sua cara de boba, rindo das vezes que me faz rir.
Aceitaria eu, sempre um convite noturno pra fumar um cigarro com você, ficaria eu ali com você sentada naquele chão frio, naquela noite fria, noite linda.
Quero eu, tudo com você, chorar se for preciso, rir de tudo e todos, perder o juizo, te contar meus segredos mais ocultos, minhas vontades incontáveis, minhas manias esquisitas, meus pesadelos, desejos e medos.
Dividir com você meu mundo, ensinar o que eu sei, e aprender com você o que eu ainda nao sei.
Quero eu, ser teu céu, teu inferno. Ser o teu amor mais chato, teu amor grosso, teu amor lindo.
Sendo o teu amor, nenhuma característica importa.
Quero ser teu amor, em todas as estações do ano, pra que eu possa, te aquecer nas noites frias de inverno, dar-te uma flor na primavera, passar horas em baixo daquele sol quente de verão, e também sentar na grama e olhar atentamente as folhas que caem das árvores no outono.
Quero eu mesmo tudo, tudo, tudo com você.
Na verdade o que eu mais queria, era ter uma bicicleta.

Obrigada por ser essa pessoa espetacular.

Pensamento diário.

''Quanto ao coração... ainda bate forte no meu peito.''
(Larissa Lais)

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Reflexãozinha

Maravilhoso mesmo é você tocar minha alma, e sentir a mais pura sensação de liberdade, que corre entrelaçando minhas veias.
O gosto é inexplicavel, a sensação um mistério.
Melhor que qualquer droga vendida por ai.
Isso sim é uma loucura real.
Da qual você fica viciado em você mesmo.
E nunca preocupando-se com o dia que lhe espera na manhã seguinte.
Sempre com o pensamento positivo, elevando-se cada vez mais.
Com fé em Deus, paz e muito amor, claro muito amor no coração.
Que minha vida seja única, tranqüila e apaixonante.
Seja ela de riqueza ou pobreza.
Que faça da minha vida, uma única vida.

Belo dia para uma reflexão.
Não acha ?
(Larissa Lais)

Pensamento diário.

''É só uma fase, quando ficar mais velha vai rir de você por ter sido assim.''
(Larissa Lais)

29.04.2009

Hoje, foi um dia normal!
Ou não.
Após um birico era só deitar e dormir.
Com a cabeça em outro planeta, me veio desesperadamente uma vontade louca de escrever.
Tentei vezes fazer com que palavras tornassem uma linda história.
Mas de nada adiantou, sera que é falta de inspiração ?
Pensei, pensei e pensei !
Então resolvi escrever sobre o meu dia de hoje.
Que resumidamente seria assim; hoje foi só mais um dia daqueles, daqueles quietinhos, aqueles dias que o ideal era parar e refletir sobre tudo. Ficar a toa jogado no sofá, e assistir um filme do qual você nunca se interessou, de fazer aquilo que nunca gostou, como lavar aquele tênis, por em ordem o guarda-roupa, e talvez até levar o cachorro pra passear.
Depois de tudo percebi que, mesmo seu dia sendo vazio e sem graça, no final sempre tem uma grande história pra contar.
(Larissa Lais)

domingo, 25 de abril de 2010

Pensamento diário.

''Valorize o amor verdadeiro, não faça dele momentos inadiáveis.
Amar é bom, realça o brilho nos olhos e no coração, aumenta fortemente a expectativa de vida.''
(Larissa Lais)

Viajante

As primeiras fumaças mancham o ar, e desaparecem com o vento.
Feito um antídoto capaz de me levar ao céu e ao inferno
em questão de segundos.
Os pensamentos pairam no ar, assim misturando-se uns ao outros, embaraçando-me a cabeça. Uma irrealidade tão real, tão alucinante, calmante, brisante.
Onde não há nada o que fazer, o que dizer, o que temer, onde ir.
Mais dois tragos, mil caminhos pela frente.
Três tragos, qual deles seguir? Me dê ao menos uma dica, uma solução, uma referêcia.
Oh não, meu coração quer falar, ele precisa falar. Não, ele não pode falar.
Meu coração fala uma língua distinta ao da minha razão; razão aquela coisa embaraçosa e conturbada denominada de mente.
Quarto, quinto trago, entram em atrito razão e emoção, deixando me louca, e sem saída.
Quando um fala o outro sempre ouve, mais nessas horas, os dois se misturam, transformam-se num pensamento só, numa coisa óbvia, ou não. Queria eu que fosse óbvia, ou não.
Fico eu pensando, no porque daquilo, qual foi o erro?. Busco a fundo uma solução, o motivo pelo qual deixei chegar nisso, o que eu fiz pra ter sido desse jeito.
Em voz baixa, digo.
''Ei, não seja assim, não faz assim, olha pra mim dentro de mim e veja, veja o que eu sinto.
Sinta o que eu sinto e não me pergunte de onde tiro forças pra aguentar, ou de como cheguei até aqui.
Estou seguindo, vou seguindo. e assim seja.''
Sexto e últimos tragos, me sinto mais aliviada, pude desabafar e dizer, o quão dificil é ter que conviver com isso, com essa dor inevitável.
Não nego a perfeição, não escondo os momentos de sorrisos, de palavras e carinhos mútuos, dos abraços e dos beijos sinceros.
Mais lidar com ''isso'' não é fácil.
''Isso'' que eu chamo de Amor.
Porém, resta-me uma ''ponta'' de esperança.
É, cada um com sua brisa!
(Larissa Lais)

Pensamento diário.

''Vou compor uma música que fale da vida, do mundo ou até mesmo de mim, escrever músicas de amor não existe, é tão demodê, clichê é patético.
O melhor compositor pra músicas assim é quando fala o coração,
e não uma simples vontade de escrever o que lhe vêm em mente.''
(Larissa Lais)

sábado, 24 de abril de 2010

Ei amor!


Uma razão incontrolada, uma emoção dilatada pelo poder que tens o amor.
Ah o amor, coisa que me toca, que me possue, me alegras, encanta-me sua essência.
Poupe-me das discórdias, da falta do querer, quero-te comigo, quero-te pra mim.
Amor, ah o amor faça de mim teu refúgio, faça de mim teu seguidor, não me abale,
não me aflija, diga-me quem és, conte-me como ser teu companheiro. Atire-me de um abismo,
e segura-me com tuas mãos e braços, me laçe me domine, me controle, me tenhas a ti.
Amor, me roube desse mundo, desse caos, desse absurdo. Leve-me ao teu paraíso,
seja-me teu chão que hei de pisar, seja-me teu mar que hei de naufragar, teu céu que hei de voar.
Seja pra mim, um porto seguro onde confiarei-te meu mundo, minha vida e deixarei de lado aquele bobo orgulho, seja o universo, as estrelas, meu mundo.
Faça de mim o que quisér, me leve pra onde for, trate-me com carinho e não terás a dor.
Ah o amor, coisa rara de se ver, coisa bela de se viver, coisa estranha e sem sentido.
Ah o amor, tentador, dominante, enlouquecedor.
Ei Amor, tenhás-me hoje, amanhã, e depois, e depois, e depois e depois.
(Larissa Lais)